Bibliotecas

A Biblioteca Rio Claro é constituída por mais de 1.000 títulos, entre publicações acadêmicas, literatura e poesia. Tendo como tema único a cidade, as obras abordam diferentes aspectos da história, da economia, da política, da cultura e da população rio-clarense, desde os seus primórdios até os dias atuais. O acervo bibliográfico dispõe de exemplares obtidos por meio de doação ou compra, podendo alguns livros dispor de informações que os tornam fontes primárias para as pesquisas. A única exceção ao grande tema se dá quando o/a autor/a é natural de Rio Claro.

Condições de acesso e consulta: disponível.

BIBLIOTECA PLÍNIO SALGADO

Plínio Salgado dedicou-se, simultaneamente, à literatura, à política, ao jornalismo e ao comércio editorial, como proprietário da Editora Clássica.

Plínio foi o mais influente e controvertido ideológico e ativista da direita brasileira defendendo teorias de nacionalismo puro. Em 1932, fundou a Ação Integralista Brasileira que pregava um nacionalismo rigoroso e exacerbado baseado em um regime político unitário, hierárquico e corporativista. Tendo como lenda “Deus, Pátria e Família”, o movimento procurava atingir o âmbito nacional ramificando-se pelas diversas partes do país.

O acervo é composto por correspondências (40.970 unidades de 1926-1976), livros (particularmente as obras doutrinárias de Plínio Salgado e publicações de autores integralistas), atas (produzidas pelos núcleos da Ação Integralista Brasileira e diretórios do Partido de Representação Popular), fotos familiares e políticas envolvendo a Ação Integralista Brasileira e o Partido de Representação Popular (3.280 unidades), jornais e revistas (570 exemplares com destaque para A Ofensiva (1934-1938), O Aço verde (1935) e Monitor Integralista (1933-1937) Revista Anauê (1935-1937), Acção (1931-1938), objetos pessoais e material de propaganda política (botons, distintivos, medalhas, bandeiras, adesivos, louças, etc.).

Condições de acesso e consulta: disponível.

Relação de Livros Biblioteca Plínio Salgado

BIBLIOTECA ROBERTO PALMARI

Roberto Filippe Palmari nasceu na cidade de São Paulo, em 1934. Filho de Arnaldo Palmari e Yolanda Gregori Palmari. Como contratado da TV Excelsior, Roberto Palmari comandou o programa Teatro 63, apresentando a dramatização de histórias do cotidiano. Dedicado à produção cinematográfica, ganhou notoriedade nacional e internacional com o filme “O Predileto”, grande vencedor do Festival de Gramado, em 1976. Com “O Diário da Província” (1978), o diretor ousou, segundo Lourenço Favari, ao transformar em personagem o jornal rio-clarense de maior expressão no início do século XX, O Alpha. Atuou também na publicidade, tendo sido sócio de algumas empresas da área. Em especial, Roberto Palmari foi membro da comissão especial para a implantação do Arquivo de Rio Claro, participando do Conselho Deliberativo entre 1980 e 1988. Faleceu no ano de 1992, em Porto Alegre (RS).

Condições de acesso e consulta: disponível.Listagem da Biblioteca Roberto Palmari

Livros digitalizados

Atual: Livros esgotados disponíveis para download que constam da biblioteca de Apoio do APH. Clique sobre os títulos desejados para baixar: Sugestão: Livros da Biblioteca Rio Claro já disponíveis para download. Clique sobre os títulos desejados para baixá-los: